Páginas

PORTUGAL DOS PEQUENINOS

Publicado por António Luís | Marcas | Publicado em 5.6.09

Quando me iniciei na blogosfera, em Outubro de 2004 (no "Sentidos Percebidos"), o meu blogue de referência era o Abrupto, de Pacheco Pereira. Lia outros, mais ou menos religiosamente e lá andava com o meu, muito verdinho e paroquial mas, ainda assim, honrado e honesto, mais em jeito de desabafário e depositário de imagens e andanças, como é aliás, este Latitude 40... Pouco tempo depois, descobri este blogue que é, volvidos estes quase 5 anos, o blogue que mais leio. Posso dizer que terei lido 95% de todos os seus textos. Nem sempre de acordo, mas quase sempre assinando por baixo das palavras, tantas vezes amargas, do seu autor. Uma amargura cortantemente real, que só algum delírio e fretismo aos poderes instalados pode escamotear ou negar. Digamos que o João Gonçalves, que eu não conheço e com quem nunca falei, diz aquilo (quase tudo) o que me apetece dizer/escrever, com a diferença que pouca gente lê o que eu escrevo - não estou em Lisboa nem sou conhecido - e muita gente lê o João Gonçalves. Pode ser acusado de pessimista, tremendista, sei lá... Mas o que é facto é que o seu Portugal dos Pequeninos é um grito de alerta e (tantas vezes) de revolta face a esta nação apalermada em que vivemos, em que, por exemplo, um líder medíocre como o actual Primeiro-Ministro, é tratado como um estadista de referência internacional, cujas capacidades já deram biografia dourada e limpa de baba e ranho emocionado, e a prática governativa está, como se vê, a tornar Portugal no que ele é hoje. Agora em livro, o Portugal dos Pequeninos pode vaguear cá por casa, preenchendo o espaço interpretativo do que fomos e somos como povo e nação. Parabéns, João Gonçalves!

Comentários (0)

Enviar um comentário