Páginas

SINGULARIDADES MADEIRENSES

Publicado por António Luís | Marcas | Publicado em 9.10.09

Há um candidato à Presidência da Câmara Municipal do Funchal, de seu nome Gil Canha, que se se afirma "Um canhão contra a corrupção!" A criatura é surreal, pese embora coloque o dedo na ferida em muito do que diz, uma espécie de emplastro que por cima do statos quo instalado, vai urrando as suas dores que, afirma, são as dores de muitos sem voz, esmagados pelos discurso formatado pelos mesmos políticos de sempre, grupo de quem, obviamente, se desmarca. É curioso como nesta terra há uma espécie de "escola Alberto João Jardim", leia-se, discípulos de outros partidos e credos que seguem o seu tradicional destempero linguístico e a sua propensão para o discurso politicamente incorrecto. Por muito que se diga e escreva, penso que não existem restrições à liberdade de expressão na Madeira. Há por aqui candidatos, oriundos de todo o espectro partidário, verdadeiramente hilariantes, proferindo as maiores alarvidades. Os incidentes que têm acontecido encontram explicação apenas nos evidentes excessos de linguagem, cujo tratamento in situ é, por vezes, proporcional à carga dramática e ao peso de certas palavras. Há muito esbracejar neste povo. Por vezes não se medem as distâncias e, frequentemente, há sempre alguém demasiado perto...

Comentários (0)

Enviar um comentário