Páginas

DIFICIL

Publicado por António Luís | Marcas | Publicado em 25.2.10


Voltei hoje ao Funchal.
Não fui ao centro, mas percorri a via rápida, sobranceira à malha central da cidade.
Olha-se lá para baixo e percebe-se uma cidade cinzenta. Não só pelo céu que a cobre, mas pelo tom das águas do mar (um cinzento acastanhado), pelos avisos nos painéis electrónicos da Via Rápida - "Evite deslocar-se ao centro do Funchal" e por tanta cara fechada dentro dos carros.
Alguns acessos ao centro estão fechados. O trânsito adensa-se e leva-se meia hora a fazer o que normalmente se faz em 10 minutos.
É difícil aceitar que uma cidade tão agradável no seu centro, tenha sido varrida de forma tão dramática e que, por estes dias, esteja fechada a tanta gente que faz dela um modo de vida, seja pelo seu trabalho, seja por um simples passeio nas suas ruas e na Avenida do Mar.
Passa-se "ali ao perto" mas sem ver o coração.
Difícil!

English
Today I went back to Funchal.
It was not at the center, but simply traveled the highway, overlooking the downtown loop.
You look down there and noticed a gray city. Not only the sky that covers it, but the tone of the sea (a brownish gray), the electronic display warnings on the Highway - "Avoid travel to the
Funchal center " and closed faces inside the cars.
Some access to the center are closed. The traffic thickens up and it takes half an hour to do what is usually done in 10 minutes.
It is difficult to accept that a city so nice at the center, has been swept so dramatically and by these days, closed to so many people  that make it a way of life, either through their work or by a simple walk in its streets and the "Avenida do Mar".
We walk close, but not seeing the heart.
Very tough!

Comentários (0)

Enviar um comentário