Páginas

VERÃO . X (5)

Publicado por António Luís | Marcas , | Publicado em 27.8.10


Verão . 9 – Um regresso a Caldas da Rainha/Oeste
Regressar ao Oeste e a Caldas da Rainha dá uma confortável garantia. De que tudo permanece numa segura ordem de monges.
Até o vento, a nebulosidade matinal e de final de tarde, sempre em desacerto com o compasso estival que faz bufar de calor o resto da nação, permanecem certos numa relojoaria precisa.
Há aqui, sempre, a garantia da necessidade de um casaco e da pele de galinha que o requisita.
De resto, a cidade permanece no seu “progresso político”, entre as iniciativas da cultura – museus, artes várias, termas, cerâmica – e a cavalgada das urbanizações, o chamado “progresso das betoneiras”.
Esta normalidade conforta e, na falta de um casaco, aquece a alma ao regressado.
Caldas da Rainha, 17.08.2010

Verão . 10 – Figueira da Foz
A cidade permanece com o mesmo traço de sempre.
Estar nela no Verão e depois no Inverno é uma sensação estranha.
É o "problema" das cidades que vivem da sazonalidade.
No Verão, é invadida por gente, muita dela de Coimbra, criando-se, por isso uma certo ar de nem é uma nem é outra. Tem o mar é a Figueira da Foz, tem os "coimbrinhas", mas sem a "Cabra" a mandar no casario, mas não é Coimbra.
Estar aqui, hoje, é, de certa forma e por isso, como estar em meia Coimbra (sem a Universidade...) e em toda a Figueira no que tem de melhor.
Sol, vento (hoje pouco) e mar.
Chega para se gostar!
 Figueira da Foz, 18.08.2010

Comentários (1)

  1. Gosto imenso dessa zona.

Enviar um comentário